Corte britânica aprova extradição de Assange para a Suécia

Por Redação Olhar Digital - em 30/05/2012 às 12h20

  • Política
  • WikiLeaks

Resumo: Fundador do WikiLeaks é acusado de abuso sexual no país escandinavo e está desde 2010 em prisão domiciliar na Inglaterra
Julian Assange, WikiLeaks

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, pode ser extraditado para a Suécia, onde é acusado de abuso sexual. A decisão foi tomada pela Suprema Corte do Reino Unido, segundo a ZDNet.

Autoridades suecas pedem a extradição de Assange, que está em prisão domiciliar na Inglaterra. No país escandinavo, Assange foi acusado de abusar sexualmente de duas mulheres em 2010.

Com a decisão da corte britânica, o jornalista tem duas semanas para entrar com um recurso. O processo de extradição deve voltar a ser julgado no dia 13 de junho.

A prisão de Assange ocorreu meses depois da revelação de documentos secretos do governo norte-americano pelo WikiLeaks. Por isso, defensores do fundador do serviço afirmam que a sua prisão é política.

Assange afirma que as relações que teve com as mulheres foram consensuais e, segundo o seu advogado, as acusações foram usadas como uma armadilha para prejudicar a ação do WikiLeaks.



Recomendações
Ver todas
Últimos vídeos
Ver todos
Redes Sociais