Facebook é processado por armazenar dados sobre rosto dos seus usuários

Por Redação Olhar Digital - em 15/08/2012 às 20h30

  • Facebook
  • privacidade

Resumo: Rede social arquiva informações biométricas sem pedir autorização às pessoas atingidas

O Facebook será novamente investigado por autoridades da Alemanha pelo armazenamento ilegal de dados biométricos, usados em tecnologias de reconhecimento facial e responsáveis pelo funcionamento da ferramenta que identifica amigos em fotos postadas na rede social.

O caso, que já havia sido avaliado pela justiça do país em 2011, foi reaberto nesta quarta-feira (15/8). O processo alega que o Facebook armazena informações sobre o rosto das pessoas sem avisá-las ou pedir autorização diretamente.

A ação foi movida pelo advogado Johannes Caspar, responsável pela proteção de dados pessoais dos cidadãos e Hamburgo e nome frequente em processos contra gigantes da tecnologia.  O mesmo advogado liderou a investigação que descobriu que o Google Street View obtinha informações pessoais usando redes Wi-Fi privadas – ou seja, de forma ilegal.

Se o Facebook for considerado culpado, terá que destruir sua base de dados biométricos dos cidadãos alemãos e passar a pedir o consentimento das pessoas que decidirem liberar as informações. O processo deve ser encerrado até o fim de setembro.



Recomendações
Ver todas
Últimos vídeos
Ver todos
Redes Sociais