Paradoxo: as pessoas gostam do Google, mas não do que ele faz

Por Redação Olhar Digital - em 13/03/2012 às 10h27

  • Buscadores
  • Google
  • privacidade

Resumo: Pesquisa descobriu que apesar dos internautas acessarem o site, eles não gostam dos resultados de buscas personalizados da empresa

Na semana passada, a Pew Research divulgou uma pesquisa sobre buscas personalizadas e publicidade dirigida que deu o que falar. Segundo o site Search Engine Land, os entrevistados não pareceram nada felizes com as buscas personalizadas, o que tornou o estudo bastante interessante, uma vez que o maior site de buscas do mundo está justamente caminhando para tornar seus resultados cada vez mais pessoais.

De acordo com o site, apesar de 83% dos entrevistados serem usuários assíduos do Google, 65% disseram que a busca personalizada é um recurso ruim e 73% não consideravam correta a exploração de dados dos internautas com o propósito de trazer resultados de buscas personalizados.

Aparentemente, as pessoas parecem não associar o Google a qualquer um destes recursos citados. O que os entrevistados apontaram como ruim e incorreto, apesar de ser feito aos montes pela gigante de buscas, não afastou nenhum de seus fãs. De fato, parece haver uma completa desconexão entre a desaprovação dos internautas e a adoração pelo Google.

O estudo não chegou a citar os nomes dos sites (Google, Bing e outros), mas nos últimos meses diversas notícias e críticas sobre o Google e a nova política de privacidade rondaram a internet. No entanto, mesmo com toda essa exposição, nenhum dos entrevistados associou os recursos ruins à empresa.

Será que a gigante de buscas é uma daquelas empresas que estarão sempre acima do bem e do mal, assim como a Apple?



Recomendações
Ver todas
Últimos vídeos
Ver todos
Redes Sociais