Pesquisadores vão hackear o cérebro de Stephen Hawking

Por Redação Olhar Digital - em 04/07/2012 às 17h00

  • Ciência
  • física
  • Medicina
  • Tecnologia

Resumo: Objetivo é entender a doença que atinge o cientista e criar maneiras para que ele se comunique melhor

Stephen Hawking é um cientista com uma das mentes mais invejáveis do planeta. Apesar de ser portador de uma doença neurodegenerativa, chamada esclerose lateral amiotrófica, que o deixou completamente paralisado, nada o impediu de desenvolver teorias intelectuais e entrar para a história da ciência moderna. Para entender um pouco de seus pensamentos, pesquisadores da Universidade de Stanford (Estados Unidos) afirmam que pretendem invadir o cérebro de Hawking ainda este mês.

Segundo o CNET, o doutor Philip Low criou um equipamento chamado iBrain. O aparelho será capaz de estudar as ondas cerebrais do cientista e enviar os resultados traduzidos para um computador. "Gostaríamos de encontrar uma forma de ignorar o corpo de Hawking e hackear apenas o cérebro", disse Low.

O objetivo, de acordo com Low, é escanear as ondas cerebrais para "vincular os movimentos em uma biblioteca de palavras e convertê-los em frases ou discursos", além de compreender melhor a esclerose lateral amiotrófica e seus efeitos no corpo do pesquisador.

Devido a doença, Hawking não pronuncia uma só palavra há mais de 30 anos e tem de usar um pequeno sintetizador que reproduz sons similares aos de sua voz. Para ativar esse sintetizador, é necessário apertar um pequeno botão, mas os movimentos dos músculos da mão do cientista também estão desaparecendo. Com o iBrain, Hawking poderá ser o primeiro a testar uma nova interface de diálogo para quem não consegue se comunicar.

Philip Low vai apresentar o iBrain durante uma conferência nos Estados Unidos neste mês. O dispositivo ainda será como uma alternativa para ajudar pacientes com tratamento em depressão e até mesmo autismo.



Recomendações
Ver todas
Últimos vídeos
Ver todos
Redes Sociais