Review: Galaxy S III é o melhor que o Android pode oferecer

Por Daniel Junqueira - em 20/07/2012 às 13h00

  • Android
  • galaxy S III
  • review
  • Samsung

Resumo: Smartphone da Samsung é o mais completo com o sistema do Google e surpreende com sua velocidade e tela de 4,8 polegadas

O primeiro Galaxy S foi lançado em 2010 e nesses dois anos a Samsung conseguiu estabelecer o seu smartphone como o principal concorrente do iPhone no mercado. O Galaxy S III, que chegou ao Brasil em junho, é a prova disso: meses antes do smartphone ser oficialmente apresentado, muito foi especulado sobre como seria o aparelho e quais seriam os seus novos recursos.

Todo o barulho feito ao redor do Galaxy S III não foi à toa: o aparelho é impressionante. O hardware potente e alguns dos recursos adicionados pela fabricante coreana ao Ice Cream Sandwich (a versão 4.0 do Android) fazem do S III o principal dispositivo com o sistema do Google disponível no mercado.

O Olhar Digital já comparou o smartphone da Samsung com o iPhone 4S (assista o vídeo aqui). Agora apresentamos uma análise dos principais recursos do Galaxy S III.

Design

Se o Galaxy S II enfrentou críticas por lembrar o iPhone, a Samsung decidiu fazer uma grande mudança no design do S III. Os cantos do smartphone são arredondados, assim como a capa traseira. Essa capa, aliás, rendeu ao dispositivo o apelido de "saboneteira". Assim, ele lembra mais o Galaxy X (nome brasileiro do Nexus) do que o Galaxy S II.

Reprodução

A enorme tela de 4,8 polegadas faz o aparelho parecer grande em um primeiro momento. Ele realmente é grande - consideravelmente maior que o iPhone 4S e até mesmo que o Galaxy S II. Mas, encaixa perfeitamente na mão e, por ser extremamente leve (ele pesa 133 gramas) e fino, pode ser carregado no bolso sem nenhum problema.

Ao todo, o Galaxy S III conta com três botões físicos. Dois são laterais - um de ajuste de volume e outro para ligar o aparelho e bloquear a tela. O outro, localizado logo abaixo da tela, serve para voltar para a página inicial do sistema operacional. Ainda existem outros dois botões sensíveis ao toque na parte inferior da tela - um para voltar e outro para abrir o menu, como de costume nos dispositivos com Android.

Hardware

O Galaxy S III se destaca por sua velocidade. Ele conta com um processador Exynos com quatro núcleos de processamento com 1,4 GHz e 1 GB de RAM. Isso faz as tarefas mais pesadas rodarem com facilidade no dispositivo: gravar um vídeo em FullHD é fácil, assim como rodar jogos em 3D bastante detalhados. Abrir apps também é simples: eles demoram pouco tempo para serem iniciados.

Um bom exemplo da velocidade do aparelho é na hora de assistir vídeos. Não pela execução do filme em si, e sim por um recurso bastante interessante: é possível deixar o vídeo rodando em uma tela pequena e realizar outras atividades no smartphone. Está assistindo alguma coisa e quer checar o Facebook? Faça isso! E o desempenho do telefone continua igual: nem parece que duas atividades estão sendo feitas ao mesmo tempo, principalmente considerando que uma delas - rodar um vídeo - exige bastante do aparelho.

A enorme tela de 4,8 polegadas também é um dos destaques do aparelho. Ela é uma evolução da Super AMOLED do Galaxy S II - agora ela é em HD (resolução de 1280x720, enquanto o smartphone anterior tinha 800x480). Assistir filmes nela não é uma experiência tão boa quanto em um tablet, mas é melhor do que em outros smartphones. A imagem é bastante nítida e visível em qualquer ângulo de visão.

Reprodução

Software

O Ice Cream Sandwich roda perfeitamente no smartphone e ganhou alguns novos recursos. A interface TouchWiz, que a Samsung adiciona a todos os seus aparelhos, ganhou algumas novidades, e novos apps feitos pela empresa aproveitam bem a tecnologia do Galaxy S III.

Entre as novas funcionalidades adicionadas três chamaram a atenção nos testes: o Smart Stay, o S-Voice e algumas novidades na câmera fotográfica.

O Smart Stay é feito para quem gosta de ler bastante no telefone. Com o recurso ativado, a câmera frontal do Galaxy S III detecta a presença do rosto do usuário, caso ele esteja focado em alguma parte da dela. Se estiver, a tela não será apagada. Se não estiver, ela é desligada. Esse modo é ideal para ler textos longos sem precisar ficar tocando na tela de tempo em tempo para evitar que ela apague e que a leitura seja interrompida.

O S-Voice é o assistente digital do Galaxy S III, uma tentativa de Siri (do iPhone 4S) da Samsung. Não é tão completo, mas tem suas qualidades. Ele checa a agenda, faz busca na internet, digita mensagens e abre aplicativos. O problema é que, por enquanto, a Samsung ainda não adicionou o português aos idiomas - ele entende inglês (do Reino Unido ou dos Estados Unidos), alemão, francês, coreano, italiano e espanhol (da Espanha ou América Latina). Portanto, é preciso saber falar algum outro idioma para conseguir usá-lo bem - por enquanto, já que a Samsung quer adicionar o português ainda neste ano.

Já a câmera fotográfica ganhou uma função de tirar fotos repetidas em um pequeno espaço de tempo. Ao todo, oito imagens são registradas, e o usuário pode escolher quais delas ficaram boas para guardar, e quais serão descartadas. Não é nada revolucionário, mas é um recurso bem legal para evitar aquela chatice de tirar várias fotos até uma delas ficar boa. (veja abaixo exemplos)

Reprodução
Uma das fotos tiradas

Reprodução
Melhor foto escolhida pelo aparelho

Outro destaque é a integração nativa com o Dropbox. Os donos do smartphone ganham 48 GB de espaço adicional no serviço de armazenamento na nuvem, e os principais recursos do dispositivo são vinculados à conta do Dropbox.

Ao tirar uma foto, por exemplo, ela é automaticamente enviada para o Dropbox, assim como vídeos. E é bem fácil acessar os documentos que estão guardados na sua pasta do serviço da nuvem do app que já vem instalado no telefone.

Compensa?

Muito. O Galaxy S III não é apenas o principal aparelho da Samsung, como também é, no momento, o melhor dispositivo com Android disponível no mercado e o mais surpreendente smartphone da atualidade.

Quem quer aproveitar o que há de melhor no sistema desenvolvido pelo Google não vai se arrepender de comprar um - mesmo que ele ainda não tenha a atualização para o Jelly Bean. Os recursos do Android funcionam muito bem no Galaxy S III, e as adições da Samsung foram muito bem-vindas.

O preço pode assustar - o sugerido é de R$ 2.099, mas com descontos de operadoras ele pode ficar mais barato. O Galaxy S III tem tudo para durar bastante. Com seu hardware sofisticado, é bem possível que mesmo dentro de alguns anos ele não esteja tão defasado em relação a alguns modelos com Android.


Recomendações
Ver todas
Últimos vídeos
Ver todos
Redes Sociais