Segundo Ministro, escolha da PwC não arrisca isenção da medição de velocidade da web

Por Redação Olhar Digital - em 21/03/2012 às 14h27

  • Banda Larga
  • Empresas
  • Internet
  • Telecomunicações

Resumo: Paulo Bernardo diz que PriceWaterHouseCoopers é empresa privada, sem ligação com empresas de telecomunicações
Paulo Bernardo, Ministro das Comunicações

Paulo Bernardo, atual Ministro das Comunicações, disse que a contratação da empresa PriceWaterHouseCoopers como entidade aferidora de qualidade de banda larga não colocará em risco a isenção da medição da qualidade dos serviços de internet no país.

O ministro explicou que a PwC é uma empresa privada e, mesmo sendo contratada para prestação de consultas públicas, não tem nenhuma ligação com companhias do ramo de telecomunicações. Ele também comenta que a empresa presta serviços para diversos setores em vários países do mundo.

Paulo ainda diz que a situação seria "muito grave" se a empresa escolhida fosse a ABR Telecom. Assim, "não teria como defender [a contratação] nesse caso", pois seria uma empresa ligada a telecomunicações.

O assunto surgiu porque o NIC.br argumentou que a metodologia empregada pelo GIPAQ – ou Grupo de Implantação de Processos de Aferição da Qualidade, que é responsável por desenvolver o software de medição – dá liberdade para a manipulação dos resultados. O órgão também diz que o método usado mede apenas a capacidade de comunicação dentro dos domínios da operadora.

Bernardo ainda completou dizendo que a argumentação do NIC.br é motivada pela perda na disputa, sendo questionamentos totalmente naturais para a situação.


Recomendações
Ver todas
Últimos vídeos
Ver todos
Redes Sociais