Testamos o Helo, um robô de telepresença controlado remotamente

Por Stephanie Kohn - em 17/05/2012 às 17h15

  • acesso remoto
  • Curiosidades
  • Robôs
  • Robótica

Resumo: Ex-astronauta da Nasa desenvolveu uma máquina capaz de ser controlada por meio de uma página da internet de qualquer lugar do mundo
Robótica

Já imaginou poder estar com seu filho, mesmo que remotamente, durante uma viagem de trabalho? Ou se você estivesse ausente de um grande evento da sua empresa e pudesse receber os convidados direto da sua casa? Este é o propósito do Helo, um robô de telepresença que pode ser controlado remotamente de qualquer parte do mundo e promete ser um novo aliado na vida pessoal e profissional dos mais modernos. A ideia é que ele te substitua em momentos em que você não está disponível. Maluco, não é?

O robô funciona da seguinte forma: você se conecta em uma página da internet, coloca seu login e senha, e tem nas mãos os botões de comando da máquina. Juntamente com este site, você se conecta ao Skype ou Google Hangout (serviço de videoconferência do Google+) do robô para dar vida a ele. Assim, o robô ganha um rosto (um tablet incorporado à cabeça do Helo) e você é capaz de enxergar através da câmera do tablet posicionado na cabeça da máquina. Do outro lado da tela, o robô pode caminhar e movimentar "o pescoço" através dos comandos acessados pelo usuário na página do Helo. Ou seja, é como se você estivesse no local, porém, remotamente. 

"O robô funciona com uma bateria de 12V e pode ser ligado a uma tomada de parede sempre que não estiver em uso. Estamos desenvolvendo também um sistema de auto-carregamento, em que ele poderá se carregar sozinho quando a bateria está fraca", explica o criador do robô, Dan Barry.

Dan é ex-astronauta da NASA, veterano de três voos espaciais e professor do programa Executive Program da FIAP, que conta com a parceria da Singularity University. Ele se aposentou na agência espacial em 2005 e resolveu correr atrás de um sonho: abriu uma empresa de robótica, junto com Zhengqin "James" Fan, e começou a criar protótipos de máquinas para uso doméstico e comercial, além de robôs que fazem assistência para pessoas com deficiência.

"Temos como objetivo proporcionar uma experiência perfeita para nossos usuários, permitindo que eles interajam remotamente como se estivessem lá pessoalmente. Estamos também tentando estender os sentidos e habilidades naturais das pessoas para que elas possam se integrar com um robô, que poderá ter a mesma capacidade física e sensorial de um humano. Além disso, estamos tentando educar a inteligência artificial para que as máquinas compreendam melhor o comportamento humano", explica o ex-astronauta.

De acordo com Dan, eles querem que a localização de uma pessoa não impeça seu acesso ao conhecimento ou experiências novas. No entanto, a ideia não é que os robôs tomem o lugar dos seres humanos, mas que eles ajudem nas limitações provocadas pela distância e abram portas para novas oportunidades à humanidade.

O Helo vem sendo desenvolvido há 11 meses e, já nos primeiros três meses, foram desenvolvidos vários protótipos que se aprimoraram e se tornaram o robô atual. Agora, segundo James, eles têm adicionado características ao equipamento e refinado o sistema de controle. O próximo passo, de acordo com o criador, é adicionar braços ao Helo, que poderão ser controlados também pela página na internet. Com novos membros, o robô será capaz de manusear as coisas, o que abriria uma porta de novas oportunidades de uso.

A equipe do Olhar Digital testou o Helo remotamente e o resultado desta experiência pode ser vista no vídeo abaixo. A máquina ainda tem certas limitações, mas funcionou muito bem durante o teste. A falta de noção de espaço atrapalhou um pouco nosso desempenho na movimentação do Helo, mas depois de algumas topadas nas quinas das paredes, conseguimos nos acostumar com a ideia de estar "presente" no laboratório "roboticamente".




Recomendações
Ver todas
Últimos vídeos
Ver todos
Redes Sociais