Twitter briga na justiça para defender manifestante do Occupy Wall Street

Por Redação Olhar Digital - em 19/07/2012 às 15h00

  • Anonymous
  • Política
  • Twitter

Resumo: Juiz obriga que o site forneça dados privados para ajudar a incriminar um ativista

O Twitter anunciou na última quarta-feira que decidiu apelar contra uma decisão, proferida por juiz de Nova York, que obriga que o site conceda informações e dados privados de um manifestante que participou dos protestos contrários ao capitalismo corporativo que ficaram conhecidos como Occupy Wall Street.

Um tribunal novaiorquino ordenou que o Twitter divulgue tweets e dados privados do ativista Malcolm Harris (@destructuremal), em uma decisão que vem causando bastante polêmica nos Estados Unidos.

Harris estava entre as centenas de pessoas presas em 1° de outubro de 2011, quando manifestantes bloquearam a ponte do Brooklyn, em NY, para chamar atenção para o ato de ocupação civil realizado na frente da Bolsa de Valores de Wall Street.

A acusação exigiu a liberação dos tweets e de um histórico de três meses para "refutar a defesa antecipada do réu", que afirma que a polícia o obrigou a ir até o local para posteriormente incriminá-lo.

Tanto Harris quanto o Twitter se negaram, por enquanto, a conceder os dados, julgando que a decisão fere o direito à privacidade.

 “No Twitter, estamos comprometidos em lutar pelos nossos usuários”, a companhia disse em uma nota oficial. “Portanto, apelaremos desta decisão que, na nossa visão, não mostra o balanço correto entre os direitos dos nossos usuários e os interesses da lei”.



Recomendações
Ver todas
Últimos vídeos
Ver todos
Redes Sociais