Robôs trabalharão em dois hospitais na Bélgica

Dois hospitais na Bélgica começarão a utilizar o robô humanoide Pepper, da empresa japonesa Softbank, para auxiliar seus pacientes. No hospital CHR Citadelle, na cidade de Liege, ele ficará na recepção cadastrando novos pacientes, mas no AZ Damiaan em Ostend, ele também guiará os pacientes até os departamentos corretos.

Será a primeira vez que o robô é empregado no ramo de saúde. Utilizando sofware produzido pela empresa belga Zora Bots, o Pepper conseguirá entender 20 línguas diferentes e saber se está falando com um homem, uma mulher ou uma criança.

No Japão, o Pepper é vendido como uma espécie de eletrodoméstico ou robô de companhia para crianças e idosos. Embora o Pepper lá seja vendido por US$ 1850 (R$6472 na cotação atual), o modelo utilizado pelos hospitais será mais avançado e custará US$ 34 mil (R$ 118.961) por unidade.

Hospital do futuro

A intenção do CHR Citadelle, em Liege, é se tornar um dos hospitais mais avançados do mundo em termos de tecnologia. Em entrevista à BBC, a diretora de comunicações do hospital disse que o investimento da instituição irá para "arquitetura, salas futoras e robôs, tanto os que nós já temos quanto os que vamos adquirir".

Os dois hospitais já utilizam o Nao, outro robô da Softbank, em suas alas pediátricas e geriátricas. O robô auxilia as crianças e idosos em sessões de exercício e fisioterapia, e também ajuda as crianças a superar o medo de cirurgias. Em alguns casos, as crianças podem levar o Nao até a sala de operações com elas.

Não é a primeira vez que o Pepper arruma um emprego. O robô da Softbank já foi contratado para ser garçom da Pizza Hut, e a própria Softbank, que o fabrica, pretende um dia ter uma loja tocada inteiramente por Peppers. A empresa investe também no pepper como plataforma, travando parcerias com outras empresas de tecnologia, como a IBM e o Google, para torná-lo mais acessível e útil a programadores.





RECOMENDADO PARA VOCÊ