Vídeo: teste elege Moto G o melhor smartphone até R$ 650

Preços correspondem às versões desbloqueadas; confira nossas análises e diga se concorda com o vencedor

Testes e mais testes. Toda vez que precisamos avaliar smartphones, o Laboratório Digital se mobiliza em torno das mais diferentes características dos aparelhos. E dessa vez não foi diferente, ainda que estejamos falando de aparelhos mais baratos – os chamados de entrada – são smartphones de verdade, com tudo que você tem direito. É claro que são mais simples, mas a questão principal aqui é preço. Estabelecemos que iríamos analisar aparelhos na faixa de 600 reais e convidamos as principais fabricantes a participar. Infelizmente, a Samsung, uma das maiores, não nos enviou aparelho para análise, por isso, ela ficou de fora. Mas, a categoria foi muito bem representada pelo Xperia E Dual, da Sony. O Optimus Tri, da LG, o recém-lançado Moto G, da Motorola e o Nokia Lumia 520. Vamos aos testes! Começando pela primeira coisa que vai chamar sua atenção...

Tela 

Aqui, não teve muita dúvida. Na verdade, nosso competidores se dividiram em 2 grupos: aqueles que têm boas telas e aqueles com telas mais fraquinhas. Na nossa avaliação, a melhor das telas é a do Moto G. Ela tem 4, 5 polegadas e traz resolução de 1280 por 720 pixels e densidade de 326 pixels por polegada. O acabamento é no resistente Gorilla Glass. A tela do Motorola chegou à frente da do Nokia Lumia 520. Mas, a tela dos finlandeses também chama a atenção, com 4 polegadas de tamanho e resolução de 800 por 400 e 233 pixels por polegada. Ela não é tão resistente quanto à Gorilla Glass, mas compensa por ser a única que você pode usar mesmo com luvas. No andar de baixo, ficam os aparelhos da Sony e da LG. Na nossa opinião, o Xperia E leva ligeira vantagem em relação ao da LG, com mais nitidez e mais fidelidade às cores.

Armazenamento 

Esse é um dos itens em que os fabricantes parecem ter resolvido conter os custos para manter os aparelhos baratos. Todos eles trazem capacidade limitada de armazenamento. O Moto G oferece duas versões. Uma com 16 Giga e outra com 8 Giga. A que nós analisamos é a mais barata, com 8 Giga. O problema é que o aparelho não tem entrada para cartões de memória. Ou seja, se você comprar um com 8 Giga, vai ter disponível par guardar fotos, músicas e aplicativos algo em torno de 6 Giga – o que não é grande coisa. Fotos e músicas você até pode guardar na nuvem, mas e os aplicativos?

O Lumia também não é muito diferente: traz apenas 8 Giga de armazenamento. Mas.... com ele você pode usar um cartão de memória e aumentar esse espaço para até 64 Giga.

Por último, temos o Xperia E e o Optimus L4. Ambos trazem um armazenamento ainda menor: apenas 4 Giga. Ou seja, sobram apenas 2 para você usar. No final, isso praticamente obrigará você a comprar um cartão de memória: 2 Giga é muito pouco, mesmo que você não seja um usuário pesado de aplicativos.

Resumindo, nesse quesito quem se deu bem foi a Nokia. Apesar de oferecer apenas 8 Giga internos, você pode chegar a 64 Giga com o auxílio de um cartão.

Desempenho 

Desempenho depende do casamento entre hardware e software. Em outras palavras, entre processador e memória RAM e o sistema operacional.

Aqui, temos a velha briga entre os diferentes sistemas operacionais. Como sempre dizemos aqui no Olhar Digital, sistema operacional tem muito a ver com preferência pessoal. Tem sempre quem adora o Android e odeia o Windows Phone. E tem sempre a turma que adora o Windows Phone e adora o Android... Para além dos sistemas operacionais, nos preocupamos com o desempenho de modo geral. Ou seja: velocidade na abertura dos aplicativos; velocidade na execução das tarefas, velocidade na navegação da internet. Em resumo: velocidade! E, aqui, temos um empate técnico entre Lumia 520 e Moto G. O aparelho da Motorola tem um hardware bem mais poderoso, e roda a versão mais recente do Android, a Jelly Bean. Trata-se de um processador Quad-core com 1.2 gigahertz de velocidade. O Moto G traz 1 Giga de Ram.

O Lumia vem com um processador mais modesto. É um dual-core com 1 gigahertz de velocidade. De memória RAM, o Nokia oferece 512 Mega. Mas, não é que o desempenho dos dois aparelhos é super próximo, apesar do hardware do Motorola ser bem superior? A explicação talvez esteja no melhor casamento entre o software – no caso o Windows Phone – e o hardware da Nokia. A comparação não deixa de chamar a atenção, já que temos situações bem parecidas aqui. De um lado, a Nokia – que acaba foi comprada pela Microsoft – responsável pelo Windows. De outro, a Motorola, que hoje pertence ao Google – criador do Android.

Aqui, novamente, LG e Xperia vem num patamar mais abaixo. Mas, nenhum deles faz feio. Os dois modelos também apresentam bom desempenho. O Sony leva ligeira vantagem, já que o LG precisou fechar alguns aplicativos algumas vezes em que tentamos abusar um pouco mais. O LG também travou mais vezes que o Sony.

Câmera 

Hummmm.... calcanhar de Aquiles desses aparelhos. Na verdade, nenhum dos 4 tem um desempenho realmente bom nesse quesito. Destaque para a Motorola que – finalmente – melhorou um pouco sua câmera. Como você já sabe, sempre achamos as câmeras dos Motorola bem ruinzinhas. Mas, nesse Moto G até que ela dá para o gasto... Tanto é que o desempenho dela garantiu um empate com a Nokia – que é conhecida pela qualidade de suas câmeras. Nessa faixa de preço, Nokia e Motorola tiveram desempenho bem semelhante. A mais fraquinha das câmeras é a da Sony. O LG também não tem lá grande desempenho, mas ficou um pouquinho acima dos japoneses porque oferece Flash – coisa inexistente no Sony. Mas, nesse quesito, quem levou a melhor mesmo acabou sendo a Motorola. O Moto G é o único dos concorrentes que tem câmera frontal. Os outros 3, só traseira. Ou seja, se você faz ligações em vídeo: só com o Moto G.

Bateria 

Esse é um item super importante. E a boa notícia é que nossos competidores se deram bem. Optamos por um teste simples. 3 funções são os grandes vilões da baterias: jogos, uso de aplicativos GPS  e vídeos. Optamos por avaliar a duração da bateria usando vídeos. Aqui quem se deu melhor foi o aparelho da Sony. Em seguida, vieram praticamente empatados o LG e o Motorola. Por último, tivemos o aparelho da Nokia. Mas, é preciso fazer um observação. Nokia e Motorola têm as maiores telas e, com isso, teoricamente, consomem mais bateria. Ou seja: no frigir dos ovos, o Moto G foi quem se saiu melhor, levando em conta o tamanho da tela.

Existe uma infinidade de outros aspectos que podem ser analisados nesses aparelhos. Mas, acreditamos que esses são os principais. Como você já sabe, o Olhar Digital não atribui notas para design – já que esse é outro quesito totalmente subjetivo. Então, sem mais delongas, vamos aos...

Preços 

Antes de mais nada, é bom lembrar que esses são valores sugeridos pelos fabricantes. Como esses são smartphones mais simples: podem até sair de graça, dependendo do seu plano com a operadora. O mais caro deles é o Moto G, por 650 reais. Em seguida, temos o Xperia E e o LG Optimus L4 – ambos custando 549 reais. O mais barato deles é o Lumia 520, por 500 reais.

Conclusão 

A escolha do Olhar Digital como melhor smartphone de entrada é o Moto G. Apesar de mais caro que os concorrentes, o aparelho levou a melhor em quase todos os quesitos: tem a melhor tela, é o único que tem câmera frontal e é quem traz o hardware mais poderoso. Mas, o Moto G tem um grande pecado: o armazenamento interno. Essa versão – que é a mais barata – oferece apenas 8 Giga. Como já dissemos, sobrem apenas 6 Giga para você usar. E não tem como aumentar esse espaço, já que o aparelho não tem cartão de memória. O Google tenta compensar um pouco o problema oferecendo gratuitamente 50 giga no seu serviço Google Drive. Mas, se a nuvem pode resolver a guarda de arquivos, ela não faz muita coisa com relação aos aplicativos que precisam ser instalados no aparelho.

O segundo lugar dessa disputa ficou com o mais barato! O Nokia Lumia 520 é uma ótima opção. Na verdade, não fosse pela falta de uma segunda câmera, talvez tivéssemos um empate técnico no primeiro lugar.

Por fim, no andar de baixo, temos Sony e LG, com ligeira vantagem para os coreanos, que oferecem a possibilidade usar 3 cartões de operadoras diferentes. Você consegue usar até dois simultaneamente.

Você tem algum desses aparelhos? Tem opiniões a respeito? Concorda com nossas análises? Compartilhe suas opiniões e seus conhecimentos com a galera mais conectada do Brasil. Consumidores mais conscientes, cobram produtos melhores e todos saem ganhando!