Aprenda a avaliar uma boa câmera de smartphone

Você ainda se ilude pelo número de megapixels na hora de escolher um smartphone pela câmera? Se a sua resposta foi sim, acredite, você vai mudar de opinião até o final desta matéria. O número de pixels é, sim, um parâmetro de qualidade, mas não o único. Basicamente, os megapixels têm duas funções: criar uma imagem maior, que possa, por exemplo, ser impressa em tamanho grande com boa resolução; ou permitir o zoom digital sem grande perda de detalhes.

Agora ficou difícil, fala verdade? Se não dá para escolher uma boa câmera de smartphone só pelo chamativo número de megapixels, como é que faz?! A gente explica. Claro, o melhor caminho, sem dúvida, seria testar o aparelho – está é a melhor forma de escolher um smartphone com câmera boa. Mas, se não for possível, a gente separou outros indícios que dão pistas sobre o potencial do smartphone; ou melhor, da câmera embarcada nele.

Pesquisar o tipo e tamanho do sensor de captura das imagens é um passo muito interessante. O sensor é o responsável por transformar a luz em sinais elétricos. Em poucas palavras, quando maior o sensor, melhor. Um sensor maior pode gerar pixels maiores; um pixel maior é mais sensível à luz o que significa melhores focos em ambientes com iluminação baixa. Câmeras com muitos megapixels costumam ter pixels menores. Ou seja, não menos sensíveis à luz.

Antes de atingir o sensor, a luz passa pelo conjunto óptico da câmera; as lentes. A qualidade do vidro utilizado faz muita diferença. O iPhone é um bom exemplo disso, apesar de ter uma câmera com menos megapixels do que a maioria dos concorrentes, a lente de cristal Zafira faz muita diferença na qualidade da imagem. Vale a pena observar a composição e o número de lentes que foram o conjunto óptico da câmera.

Outro fator que todo fotógrafo entende, e que é importante você também observar na hora de escolher um bom smartphone para fotografar, é a abertura da lente. Quanto maior a abertura, mais clara é a lente – mais luz chega até o sensor. Aberturas menores fazem com que a câmera leve mais tempo para capturar a imagem, o que aumenta as chances de fotos borradas. Abertura é medida por uma letra “f” seguida por um número. Quanto menor o número, maior a abertura da lente. Ou seja: f/1.7 é uma lente mais clara do que f/2.2, por exemplo.

Descubra se a câmera do smartphone pretendido possui estabilizador de imagens; isso salva muitos cliques que, em outros dispositivos, poderiam ficar tremidos. Existem dois tipos de estabilização: óptica e eletrônica. A eletrônica é feita via software por um algoritmo que tenta corrigir o movimento das mãos do usuário. Ela normalmente é capaz de resolver pequenos problemas. Já a estabilização óptica é feita via hardware, com componentes flexíveis para evitar que a câmera se movimente demais na hora da foto e do vídeo. É uma opção superior, tanto para foto quanto para vídeo.

Por último, avalie o aplicativo da câmera. Cada marca tem suas próprias características, e, atualmente, a maioria traz uma série de funções e configurações como balanço de branco, sensibilidade, etc. Interessante, para quem gosta de criar e brincar com a luz, são smartphones que oferecem configurações manuais de foco, exposição, abertura e por aí vai.

Agora que você já sacou que mais coisas para prestar atenção nas câmeras de smartphones do que o número de megapixels, você vai poder escolher muito melhor seu próximo aparelho. E se você tiver alguma dica adicional para compartilhar com a galera, não se acanhe, use os comentários para dividir seu conhecimento!



RECOMENDADO PARA VOCÊ