Embed Apagar a luz Acender a luz Publicado em 13/05/2012 às 15h45
Copie e cole o código abaixo para compartilhar ou incorporar o vídeo.
<iframe src="http://olhardigital.uol.com.br/embed/bike-fit-a-tecnologia-a-servico-dos-ciclistas/26146" frameborder="no" scrolling="no" width="460" height="290"></iframe>
FECHAR

Bike Fit: a tecnologia a serviço dos ciclistas

  • Esportes
Vídeos relacionados
Ver todos


Este é o sistema mais moderno de Bike Fit. Aqui, sensores infravermelhos são colocados nas principais articulações do ciclista. Do outro lado da sala, fica este equipamento composto por um sensor de profundidade e uma câmera capaz de identificar os sensores em movimento. Dentro do aparelho, um microcomputador processa as informações em tempo real para criar um mapa de profundidade da imagem captada em três dimensões. No PC, um software é responsável por compilar quase 30 medidas do corpo e as apresentar na tela, de forma bastante didática e ilustrativa.

A principal diferença desse para outros métodos mais tradicionais é que as medições são todas feitas com o atleta em movimento, para simular como se ele estivesse realmente pedalando. Nos métodos mais convencionais, o Bike Fit é todo estático, ou seja, com o ciclista parado em cima da bike!

A coleta de dados é bem rápida; 15 segundos de avaliação são suficientes para analisar cada ponto de articulação do ciclista. Toda informação coletada é usada para ajustar a bicicleta. A precisão é milimétrica.

Outra ferramenta interessante é o digitalizador de bicicletas. É esta espécie de caneta quadrada com sensores infravermelhos nos cantos. Graças a ela, o profissional não precisa tirar cada medida da bike ponto a ponto.

Página 1/198
<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 > >>
Página 1/4
<< < 1 2 3 4 > >>
Últimas notícias
Ver todas