Embed Apagar a luz Acender a luz Publicado em 09/09/2012 às 15h45
Copie e cole o código abaixo para compartilhar ou incorporar o vídeo.
<iframe src="http://olhardigital.uol.com.br/embed/conheca-as-surpreendentes-imagens-do-4k/28922" frameborder="no" scrolling="no" width="460" height="290"></iframe>
FECHAR

Conheça as surpreendentes imagens do 4K

  • Cinema
  • HD
  • HDTV
Vídeos relacionados
Ver todos


Se a qualidade das salas de cinema mais modernas e o “Full HD” da sua nova TV surpreendem, prepare-se para conhecer o que está por vir... A tecnologia ainda está longe dos aparelhos domésticos, mas já é realidade em 14 mil salas de cinema nos Estados Unidos e inclusive em algumas salas no Brasil. Estamos falando da tecnologia 4K.

Esta ilustração explica melhor. Enquanto os aparelhos de TV “Full HD” exibem imagens em até 1920 por 1080 pixels, o 4K vai muito além; a resolução neste caso salta para impressionantes 4096 por 2160 pixels. A definição é cinco vezes maior do que as telas de cinema atuais, que são pouca coisa melhor do que o “Full HD” dos televisores.

No cinema 4K, é possível enxergar detalhes que, antes, simplesmente passavam despercebidos.

Luis Fernando Fabichak, do departamento de Marketing da Divisão Profissional da Sony é quem comenta: "você vê uma imagem tão limpa, e com uma profundidade tão grande, interessante, que em algumas tomadas você tem a impressão de três dimensões, de tão profunda, e o "filme look" que ela consegue colocar na tela."

Claro, para chegar a essa qualidade absurda, são necessárias câmeras e projetores especiais. Mas tudo ainda está muito no início. Hoje, por exemplo, o corpo de uma câmera com 4K nativo não sai por menos de 80 mil dólares; o projetor é um pouquinho mais em conta, mas ainda custa entre 40 e 50 mil dólares.

Agora você é capaz de imaginar quanto espaço é necessário para se armazenar imagens com este nível de qualidade e resolução? Só para dar uma ideia, enquanto um segundo de vídeo em “Full HD” ocupa 4 Mega de espaço em disco, um segundo de filme em 4K ocupa cerca de 2 Giga. É... isso mesmo; o arquivo em 4K é 500 vezes maior do que um “Full HD”.

Fabichak afirma: "a gravação, diferente de outras tecnologias, ela é feita numa memória. O material é gravado numa memória - para você ter uma ideia - que vai de 256 giga até 1 terabyte em uma única memória. E muitas pessoas perguntam: 'puxa vou gravar meu material numa memória, um investimento tão alto numa memória... o que pode acontecer futuramente, se eu perder esse material dentro da memória?' A gente tem uma proteção hoje nessa memória, que a gente chama de Raid 5, que é uma proteção que a gente encontra em vários HDs, hard disks, computadores. Ou seja, você não tem a menor possibilidade de perder nenhum conteúdo porque a memória faz, automaticamente, como se fosse um backup de todas as informações."

E se a tecnologia avança sempre a passos muito largos, ao mesmo tempo em que o 4K começa a ser apresentado ao público, uma grande marca japonesa já criou protótipo de câmeras e monitores 8K. Dá pra acreditar?! Durante uma feira para profissionais do cinema e da TV, foi apresentado este monitor de 85 polegadas com definição de inacreditáveis 7680 por 4320 pixels.

Yasuhiro Yoshida, gerente geral de áudio-visual da Sharp, é quem afirma: “isso mesmo, o 8K é o dobro do 4K. Este é apenas um protótipo ainda, mas a ideia é comercializá-lo em um futuro próximo".

Segundo o executivo, a rede japonesa NHK é a única no mundo que possui câmeras para captação em 8K; e são apenas três modelos.

Veja esta comparação: uma tela de “Hi-Vision”, como foi batizado o 8K, tem a resolução de nada menos do que 16 telas de alta definição padrão. A boa notícia é que o Brasil tem chance de ver de perto essa nova geração de imagens em altíssima definição.

Yasuhiro Yoshida diz: "acredito que o Brasil tem muita oportunidade para receber essas novidades; como a Copa do Mundo em 2014 e a Olimpíada, em 2016. São vocês que devem lançar o 8K para o mundo... "

Página 1/4
<< < 1 2 3 4 > >>
Últimas notícias
Ver todas