Entenda para que serve um provedor de internet nos dias de hoje

Links:
Entenda as diferenças das tecnologias que levam a internet até você

Este som te lembra alguma coisa?!

Para alguns, esse barulho esquisito é sinônimo de uma nostalgia gostosa dos princípios da internet, no início dos anos 90. Para outros, o ruído acorda um fantasma do passado e traz lembranças das inúmeras quedas de conexão e contas altíssimas de telefone no final do mês. Quem experimentou a internet com conexão discada certamente conheceu algum provedor de acesso; entre os de maior destaque, podemos destacar o iG, o Terra (antigo ZAZ) e o UOL, por exemplo.

Na época da internet discada – cerca de 20 anos atrás, o provedor de internet era figura obrigatória na contratação do serviço. Naquele tempo, as operadoras de telefonia não podiam fazer o papel de provedores; regulamentos proibiam que as teles fizessem qualquer coisa além de telefonia. Assim, o provedor era indispensável para que fosse feita a autenticação do usuário. Mais do que isso, o provedor era também a camada que oferecia os protocolos necessários para navegar na web e utilizar os serviços oferecidos.

Desde 2013, a partir de um novo regulamento, a Agência Nacional de Telecomunicações acabou com a obrigatoriedade da contratação de provedores para realizar a conexão à internet. A partir de então, além de oferecer toda infraestrutura física de conexão (com cabos, rádios, modens, etc.) as operadoras passaram a ser obrigadas a prover também o serviço de acesso à web.

A banda larga chegou ao país no ano 2000. Hoje ela é responsável pela conexão de 97,7% dos lares com acesso à rede no Brasil; ou seja, a conexão discada só responde por 2,3% dos acessos. E se para a banda larga a própria operadora pode oferecer o autenticador de conexão, no acesso discado ainda é necessária a presença de um provedor. A diferença é que agora a operadora é obrigada a oferecer o serviço completo de acesso à internet; ou seja, mesmo que um provedor seja necessário, este serviço não pode ser cobrado a parte.

Algumas operadoras, mesmo em serviços de banda larga, ainda optam por terceirizar a etapa do acesso com provedores. É uma decisão do modelo de negócio de cada empresa. O importante saber é que você, seja com conexão discada – que requer a presença do provedor – ou com banda larga – que o dispensa, não precisa pagar nada extra pela autenticação de acesso à internet.

É questão de tempo para que esses poucos mais de 2% de conexões discadas se tornem definitivamente coisa do passado por aqui. Enquanto isso, se você tiver curiosidade de saber como a sua internet chega literalmente até sua casa, veja uma reportagem recente que fizemos explicando a diferença das tecnologias de transmissão dos dados. Confira e fique por dentro. O link para assistir mais essa matéria está logo abaixo deste vídeo no nosso portal.



RECOMENDADO PARA VOCÊ