Muito além do Facebook; veja análise completa das principais redes sociais

Provavelmente você até já faz parte de alguma delas – ou de várias… Facebook, Instagram, Twitter, Linkedin, Snapchat, Google Plus…é opção que não acaba mais, quando o assunto são redes sociais. O conceito de rede social começou muito antes de todos esses canais aparecerem; desde o princípio são ambientes virtuais onde as pessoas cultivam relacionamentos.

Nós, brasileiros, temos uma afinidade enorme com redes sociais. Números falam por si só…Com um bilhão e meio de usuários em todo o mundo, o Facebook, a maior e mais consistente das redes, conta com 92 milhões de brasileiros cadastrados. No Twitter, o Brasil também está entre os países com maior número de usuários em todo o mundo. No Linkedin, buscando relacionamentos mais profissionais, somos 20 milhões; terceiro lugar em nível mundial.

Analisando o cenário geral, o Twitter continua forte por aqui. Mas o microblog, que já teve 330 milhões de usuários, hoje caiu para 305 milhões de inscritos…uma debandada forte. No ar desde 2006, o Twitter é, sem dúvida, a rede social que passa pela maior provação hoje em dia.

A Larissa ainda usa e gosta bastante do Twitter; principalmente para ler notícias durante o trabalho. Mas ela também é daquelas que perde o controle com redes sociais; falta tempo para administrar tanto perfil: além do Twitter, ela está também no Facebook, Instagram, Linkedin, FourSquare…

O Fernando é mais prático. Como todo bom brasileiro, experimentou quase tudo o que apareceu de rede social por aqui. Usou bastante o Twitter no início para aprender a ser mais sucinto e se limitar aos 140 caracteres, mas abandonou. Para ele, Facebook e Instagram são mais do que suficientes. Recentemente, ele criou o perfil “Gordenuncia”, que dá uma bronca virtual em quem escapa da dieta. A mistura de brincadeira e conscientização vem fazendo sucesso no Instagram, sua rede preferida.

O Snapchat, dominado praticamente pelo público adolescente, vive um bom momento e está em forte alta no Brasil e também nos Estados Unidos. Aliás, numa pesquisa recente, a rede do fantasminha aparece como a preferida dos adolescentes do Tio Sam. Mas, ao que tudo indica, não agrada o pessoal pouca coisa mais velho.

Não vamos ignorar, talvez alguém aí tenha perguntado: e o Google Plus? Nós fizemos a mesma pergunta: e o Google Plus? Aliás, a gente até tentou encontrar algum usuário ativo da rede social do Google, mas não encontramos ninguém - ou pelo menos ninguém disposto a se declarar usuário ativo do Google Plus. Talvez o trauma do falecido Orkut ainda assombre os ares do Google…

Uma análise bastante interessante quando o assunto são redes sociais é que, apesar de usar os mesmos canais, cada pessoa atua de maneira diferente em cada uma delas.

Esse grande panorama mostra que as redes sociais vão muito além do Facebook, ainda que a plataforma de Mark Zuckerberg seja dominantes e quase onipresente. Sobre o futuro, é muito difícil dizer o que pode acontecer; é preciso acompanhar de perto. Tudo muda muito rápido. Lembra do MySpace? Quem diria que ele ia desaparecer um dia? É o mesmo que qualquer um de nós diria hoje sobre o Facebook. Na visão de alguns, o Linkedin, um canal específico para contatos profissionais, talvez seja quem aponte para uma ideia do que o futuro pode nos trazer.



RECOMENDADO PARA VOCÊ