Embed Apagar a luz Acender a luz Publicado em 28/09/2011 às 15h45
Copie e cole o código abaixo para compartilhar ou incorporar o vídeo.
<iframe src="http://olhardigital.uol.com.br/embed/privacidade_dicas_para_evitar_que_seus_dados_sejam_expostos_na_internet/20086" frameborder="no" scrolling="no" width="460" height="290"></iframe>
FECHAR

Privacidade: dicas para evitar que seus dados sejam expostos na internet

  • Banco de Dados
  • redes sociais
  • Segurança
  • Web
Vídeos relacionados
Ver todos


O pior é que essa invasão da sua privacidade online está totalmente fora de controle.

José Mariano, delegado investigador de crimes eletrônicos declara: "Os maiores campeões em divulgar indevidamente dados pessoais e sensíveis, como é o caso de numeração de documentos, são orgãos da própria administração pública. Quando as pessoas prestam algum tipo de concurso público, o que acaba acontecendo é, na hora da divulgação de resultados ou eventuais convocações, em questões relacionadas à homonimia, a divulgação é feita utilizando os próprios números de documentos pessoais".

Mais do que isso, a prática de venda de banco de dados que armazenam informações de consumidores é cada vez mais comum. José explica que não existe restrição e, inclusive para grandes empresas, tem sido prática rotineira a aquisição e venda desse tipo de informação.

Preste atenção em quanta informação determinado serviço exige para que você se cadastre. Será que é realmente necessário tudo aquilo? Na verdade, não existe muito critério para a exigência de tanta informação pessoal. Por isso, desconfie quando achar que estão pedindo demais.

"Exerça o seu direito de escolher entre responder ou não, aderindo àquilo que você acha que é adequado. Se mais pessoas agirem assim, muitos serviços vão parar de abusar da coleta de informações que só tem um interesse: a venda de bases de dados que contém essas informações. Desconfie, proteste, vá atrás, conteste. Seja cidadão, tanto no mundo real quanto no virtual", completa o delegado.

Leonardo Naressi, CEO da Direct Performance, explica: "Essas informações são super valiosas na internet. Então, se você não confia naquela empresa, não dê suas informações. É a mesma coisa que alguém te pedir o seu cartão de crédito e você não confia naquela loja: 'Compre aqui, a garantia sou eu. Passe seu cartão aqui'. Você vai dizer, 'Ôpa, não vou passar meu cartão aí!'. É a mesma coisa. Não coloque suas informações onde você não confia."

Ainda não existe lei sobre a coleta e divulgação de dados e privacidade online, mas isso deve mudar em breve; há algum tempo está em debate o Marco Civil da Internet Brasileira, que estabelecerá diretos e deveres dos cidadãos brasileiros no mundo virtual. Mas, com ou sem lei, o melhor mesmo é se prevenir! Confira essa dicas:

- Restrinja o acesso a dados pessoais

- Crie um e-mail específico

- Preste atenção nos contratos

Nas redes sociais, para você não ser o próprio vilão da sua privacidade online, vá até configurações avançadas e defina quem poderá ter acesso às suas informações pessoais. Outra dica: crie um e-mail destinado apenas para cadastros. E preste muita atenção nos contratos de adesão de cada serviço. 

Leonardo diz que "outro exemplo são os joguinhos de Facebook. Vemos que muitos aplicativos da rede social que as pessoas adicionam dizem 'Clique aqui e permita que o jogo tenha acesso a suas informações pessoais'. Um joguinho desse pode pegar todas as informações do seu perfil no Facebook. Então, cuidado na hora de aceitar. Leia o que ele está pedindo, que é o acesso ao seu e-mail, a seu telefone ou os dados dos seus amigos", completa.

Todo cuidado é pouco. Quando seus dados caem na rede, não tem mais volta!

"A resposta fácil para tirar o nome do buscador não existe. É difícil, você não tem contato direto com o buscador para fazer isso. Temos que adotar outras estratégias para que possamos evitar que essa informação seja exibida pelo serviço. Mas não há contato direto com eles para falar: 'Olha, bloqueia o meu nome'", completa Leonardo.

A melhor saída neste caso, seria entrar em contato direto com o site onde suas informações estão expostas e pedir a remoção. Normalmente funciona. Caso o processo amigável não dê resultado, aí só resta o caminho da justiça.

Quer saber como proteger você e sua família? Aqui você vai encontrar uma cartilha cheia de dicas super interessantes sobre segurança online para jovens e pais que utilizam as redes sociais. E o melhor: também te damos a dica de um serviço que elimina grande parte das suas informações online – pelo menos, as que ainda for possível... Acesse e apague pelo menos alguns de seus rastros na internet!

Últimas notícias
Ver todas