Embed Apagar a luz Acender a luz Publicado em 18/12/2011 às 15h45
Copie e cole o código abaixo para compartilhar ou incorporar o vídeo.
<iframe src="http://olhardigital.uol.com.br/embed/tecnologia-e-musica-como-os-estudios-de-gravacao-funcionam/22969" frameborder="no" scrolling="no" width="460" height="290"></iframe>
FECHAR

Tecnologia e música: como montar seu próprio estúdio de gravação dentro de casa?

  • Computadores
  • Música
  • Software
  • Tablet


Silvio explica que, "há alguns anos, montar um estúdio desses era muito difícil. Precisava ter muitos equipamentos caros". Mas, ele diz que, hoje em dia, com um computador, um interface de boa qualidade e algumas superfícies de controle e outros acessórios, você consegue ter um "home studio" e fazer produções de alto nível.

A base de qualquer estúdio hoje em dia é o computador, seja ele caseiro ou profissional. Aliado a ele, é necessário ter um equipamento conhecido como "interface de áudio". Ele é o responsável por transformar o som da voz e dos instrumentos em um arquivo digital. Antes de começar a produzir, é interessante pensar em controladores que complementem o clique do mouse e o tradicional teclado.

"O que fica limitado é o controle desse software. Então, para controlar todos os faders e plugins com apenas um único clique, ou seja, com o mouse, fica muito difícil. Então, adquirimos algumas facilidades. São superfícies de controle, para te ajudar na hora de mixar, de você ter um controle maior sobre sua estação de trabalho", explica Silvio.

Atenção para um mito. Tem muita gente que acha que só é possível produzir música em computadores da Apple. Mas, muito além dos Macs, existem dezenas softwares de produção para Windows e – boa notícia -  também para Linux. Silvio diz que "o importante é que você teste-os e veja com qual você melhor se adapta, pois todos eles irão te dar os recursos necessários para se ter uma boa produção de áudio, como plugins, compressores e equalizadores".

Agora a maior novidade do estúdio do Silvio é que ele se tornou portátil. Com programas específicos para tablets, e tão completos quanto os dos computadores, hoje, ele consegue gravar e produzir qualquer som em praticamente qualquer lugar.

O software de produção musical no tablet ainda dá a possibilidade de você plugar um microfone ou outro instrumento para gravar direto no dispositivo ou ainda simular violões, teclados, guitarras e sintetizadores: "Os mesmos recursos que você tem em uma 'workstation', ou seja, em um computador, hoje, você já consegue ter dentro de um iPhone e iPad", diz Silvio.

Ele explica que há muitos guitarristas que usam o iPad como simulador de amplificador ou pedaleira de efeito. Existem várias opções para que você faça suas produções em qualquer lugar.

O tablet é uma ferramenta tão poderosa que, no Natal do ano passado, a banda Gorillaz presenteou seus fãs com um álbum totalmente gravado em um tablet durante uma turnê.

Tudo muito bacana. Mas, e quanto custa montar um estúdio pessoal? O Silvio ajudou a gente a criar uma tabela. O computador deve ter um processador rápido e atual, mas mais do que isso, deve ter, no mínimo 8GB de memória RAM. Ou seja, estamos falando de um máquina de uns R$2 mil. Um microfone bom sai em torno de R$300. A indispensável interface musical custa, em média, R$500. Para finalizar, boas caixas acústicas para ouvir as gravações saem por outros R$500. Ou seja, se você ainda não tiver um computador, vai gastar pouco mais de R$3 mil para montar seu próprio estúdio.

A era digital realmente democratizou a produção de músicas. Hoje, muito mais gente pode começar a brincar. Daí para frente, entra o talento.

A junção entre tecnologia e música é caminho sem volta. No link que está junto dessa matéria, você confere uma outra reportagem que fizemos mostrando como funcionam alguns softwares que conseguem transformar a voz de qualquer um numa voz afinada. Alguns figurões da música internacional não existiriam sem esses programas.
Últimas notícias
Ver todas