Embed Apagar a luz Acender a luz Publicado em 25/10/2009 às 15h45
Copie e cole o código abaixo para compartilhar ou incorporar o vídeo.
<iframe src="http://olhardigital.uol.com.br/embed/vale-se-arriscar-num-celular-xing-ling/9630" frameborder="no" scrolling="no" width="460" height="290"></iframe>
FECHAR

Vale se arriscar num celular xing ling?

  • Celulares
  • Gadgets
Vídeos relacionados
Ver todos


Quer comprar um bom celular, cheio de recursos, mas não tem muita grana para investir? Bom... existem, aí, duas saídas. Uma delas é contar com a ajuda e a boa vontade de alguma operadora. Promoções acontecem com certa freqüência. Mas ainda assim, nem todos os clientes podem participar. É necessário ter um bom plano, ou assinar um contrato de fidelização na empresa por mais alguns meses. Exatamente por causa dessas dificuldades, alguns consumidores preferem optar pelo mercado paralelo. Nas banquinhas e lojas de importados, é comum encontrar aparelhos genéricos que prometem fazer tudo o que os de marca também fazem. A gente conferiu alguns desses modelos, que prometem maravilhas.

No ano passado, surgiram rumores de que a Apple faria um iPhone mini. Já foi suficiente para que desenvolvessem este aparelho aqui. Ele é bem menor e traz alguns itens inexistentes no original. Por exemplo, ele funciona perfeitamente com 2 chips ao mesmo tempo. A linha 1 e a linha 2 ficam ativas, simultaneamente, e você pode receber ou fazer ligações de qualquer uma delas quando quiser. Ele tem, também, um sintonizador de TV analógica. Mas por outro lado, o acabamento é bem inferior, a tela não é tão sensível e apresenta menor resolução. Os aplicativos da Apple Store, obviamente, não funcionam no modelo genérico. Mas comprar estes aparelhos tem sido uma saída escolhida por muitos consumidores, que buscam recursos presentes nos smartphones de “gente grande”.
Mas é muito importante ressaltar uma questão ética aqui neste mercado informal. Uma coisa é alguém produzir um aparelho genérico ou similar. Outra bem diferente é alguém falsificar aparelhos e utilizar marcas reconhecidas no mercado. É o caso desse aqui. Ele não só é idêntico ao original, como estampa inclusive a marca da fabricante aqui no corpo do aparelho. Chega a ser um completo absurdo. Sem falar que a qualidade... bem, não dá nem para comentar...

No caso de aparelhos de procedência desconhecida, também é bom duvidar do que se diz no manual – se é que ele tem um. Este aqui, por exemplo, promete câmera de 13 megapixels! Uma barbaridade. Mas, na prática, a qualidade da foto é medonha, bem inferior à do iPhone 3GS original, que tem “apenas” 3 megapixels.

No mundo dos genéricos, o recurso do Dual chip chama mesmo a atenção. Mas essa diferença pode não compensar outros problemas. Não imagine navegar na Web com a mesma facilidade de um iPhone. E também não imagine que esse tipo de aparelho vá durar muito. Portanto, se você resolver se arriscar neste mercado, tome muito cuidado: a chance de levar gato por lebre é grande.
Últimas notícias
Ver todas