19/01/2017 Postado às 10h00

Por que data centers precisam saber lidar com dados como objetos?

Redação Olhar Digital

Cada vez mais o mercado de TI percebe que os métodos tradicionais de gerenciamento de dados não servem para lidar com o volume crescente de informações não estruturadas. Hoje, um data center pode processar dados nos mais diferentes formatos, o que torna a administração disso tudo mais complicada.

Uma tendência que vem crescendo nos últimos anos é a abordagem do armazenamento de dados em forma de objetos. Em vez de organizar dados por diretórios (pastas dentro de outras pastas), esse sistema permite que as informações sejam localizadas e guardadas horizontalmente, tornando a acesso a elas muito mais rápido e inteligente.

Além disso, um data center voltado ao armazenamento de dados como objetos não busca esses dados com base em endereços fixos, mas apenas com base em identificadores padronizados. Desse modo, o administrador pode mudar aqueles objetos de lugar o quanto quiser, mas o sistema de gerenciamento do data center sempre vai encontrá-los rapidamente.

O resultado é que essa abordagem - de tratar dados como objetos, em vez de blocos ou arquivos - exige muito menos metadados, liberando mais espaço no data center e tornando todo o processo mais ágil. Há, é claro, também o fator econômico: um data center mais rápido significa uma cadeia de produção mais rápida, e, consequentemente, lucros mais rápidos.

Esse tipo de armazenamento já é utilizado por diversas grandes empresas no mercado de TI. Para aplicações na nuvem, o armazenamento em objetos é especialmente mais útil do que as abordagens tradicionais. Ainda mais se o data center da sua empresa é um híbrido de cloud e local.

Ainda mais interessante, alguns sistemas aproveitam o que há de mais vantajoso em armazenamento por objetos, somado a um conjunto híbrido de cloud e armazenamento definido por software.

Esse, afinal, parece ser o futuro para o qual grande parte da indústria tem apontado seus esforços: aplicações na nuvem híbrida em substituição ao storage local; o software como método principal de gerenciamento de dados; e objetos como forma ideal de armazenamento de informações não estruturadas.

O que o mercado tem a ganhar com a soma dessas inovações é agilidade e um corte de custos a médio e longo prazo. Afinal, investir na melhor forma de gerenciar e sustentar seu data center é a melhor maneira de se manter competitivo num mundo que depende cada vez mais de um volume exorbitante de dados prontos para serem processados o mais rapidamente possível.