5 dicas para não passar nervoso com o leitor biométrico do seu celular

Se você tem um celular com sensor de impressões digitais, já deve saber que ele é super útil: permite que você tire o smartphone do bolso já com a tela destravada e facilita muito a vida quando você precisa usar o celular rapidamente. 

Por outro lado, você provavelmente já descobriu que ele pode dar bastante dor de cabeça. Nem sempre ele reconhece os seus dedos, e em alguns casos obriga você a usar senha, PIN ou padrão de desbloqueio. Há, no entanto, algumas maneiras de fazer com que o sensor de biometria funcione melhor. 

Abaixo, damos cinco dicas para você não passar nervoso na hora de destravar o celular com a impressão digital. Confira:

1. Cadastre a mesma impressão digital mais de uma vez

Essa é a dica mais útil. Em geral, os smartphones permitem que você cadastre até cinco impressões digitais diferentes. Vale a pena usar dois desses espaços para o mesmo dedo. Use isso para cadastrar o dedo que você sempre usa para destravar a tela: geralmente, o polegar ou o indicador da mão direita. Com isso, as chances de você conseguir destravar a tela de primeira dobram.

2. Registre pelo menos um dedo de cada mão

Não se esqueça de deixar pelo menos um dedo de cada mão cadastrado no aparelho. Você provavelmente vai precisar usar seu celular com a outra mão algum dia, e nesse momento é útil que a impressão digital do seu polegar ou indicador da outra mão esteja cadastrada. Escrever senhas ou desenhar padrões com uma mão só pode ser bem difícil, por isso, ter os dedos de ambas as mãos registrados no celular é importante.

3. Se outra pessoa usa seu celular com frequência, deixe a impressão digital dela cadastrada

Você pode estar pensando: não é melhor simplesmente dizer a minha senha para a pessoa? A resposta é: não. Isso porque a senha dá mais acesso ao celular do que a impressão digital. Uma pessoa com a impressão digital registrada pode destravar a tela do aparelho, mas, para mudar as configurações de segurança, a senha ou cadastrar outras impressões, você precisa saber a senha, o PIN ou o padrão. Essa informação só deve ser conhecida pelo dono do aparelho.

4. Não use o sensor quando estiver com a mão molhada, suja ou engordurada

Se você já tentou olhar o celular enquanto comia batata frita, pipoca de cinema ou algo do tipo, deve ter percebido que o sensor não funciona. Idem para quando você fica com a mão suada, molhada ou suja. A água, a gordura ou a sujeira atrapalham o contato do seu dedo com o sensor, o que impede que ele funcione. Assim, se os seus dedos não estiverem secos e limpos, não use o sensor. Não vai adiantar nada e você vai deixar o sensor sujo. Nesses casos, prefira usar a senha, PIN ou padrão, ou dê uma enxugada nas mãos antes de usar o celular.

5. Limpe o sensor pelo menos uma vez ao dia

Não são só seus dedos que precisam estar limpos para que o sensor de impressões digitais funcione. O sensor em si também precisa estar limpo, e, se você costuma usar o celular com as mãos sujas, a sujeira vai se acumulando sobre o sensor até o ponto em que ela forma uma pequena camada que impede que suas impressões digitais sejam lidas por ele - por mais limpos que seus dedos estejam. Um pouco de sujeira acaba acumulando ali de qualquer maneira, então vale a pena passar um paninho seco sobre o sensor ao menos uma vez por dia.





RECOMENDADO PARA VOCÊ