Jovem é preso por chamar a SWAT contra jogadores de videogame

Se você costuma participar de fóruns ou grupos de discussões sobre videogames já deve conhecer o “Swatting”, uma prática que consiste em passar um trote para a polícia com o objetivo de paralisar alguém que está jogando online. Depois de muitos ataques e trotes para as autoridades americanas, finalmente alguém foi preso por isso.

Matthew Tollis, de 21 anos, morador de Connecticut, nos Estados Unidos, foi acusado de fazer essas chamadas para sua região e outros quatro estados. De acordo com as autoridades, ele fazia parte de um grupo chamado TeAM Crucifix or Die. Outros membros da equipe vivem no Reino Unido e suas identidades ainda estão sendo investigadas.

Para quem não conhece o Swatting, normalmente acontece assim: alguém está transmitindo um jogo por meio do Twitch.tv em tempo real, ou outro site de streaming, quando a SWAT invade o recinto. Os policiais receberam uma acusação de tiroteio, ou de alguma situação de refém, ou algum caso envolvendo bombas. A transmissão, claro, é interrompida depois que o jogador precisa explicar por um bom tempo para os policiais de que tudo não passava de um trote.

O grande problema destes trotes é que eles são muito difíceis de serem rastreados. Normalmente a pessoa que passa o trote procura pelo telefone da vítima e consegue disfarçar seu próprio número telefônico para ligar para o número de emergência. É possível fazer o atendente acreditar que o chamado está sendo feito da casa da vítima.

“Você pode literalmente fazer isso de qualquer lugar do mundo. Pode ser muito difícil solucionar o caso dependendo do grau de sofisticação da pessoa que passa o trote”, afirma Justin Cappos, professor-assistente de ciência da computação na Universidade de Nova York.

Para a polícia também é um problema grave de gasto de recursos com chamados falsos. Em abril deste ano, um destes trotes custou mais de US$ 100 mil aos cofres públicos para enviar 60 oficiais até o local, para encontrar adolescentes inofensivos usando headphones. Tratava-se apenas de alguém que ficou irado por perder uma partida de Call of Duty e chamou a polícia como vingança.

Via Yahoo





RECOMENDADO PARA VOCÊ