AMD promete lançar processadores 'tremendamente mais potentes' que os da Intel

A AMD voltou ao páreo de processadores de alta performance para PCs profissionais e voltados para games com a sua recém-lançada linha Ryzen 7. Mas, ao que parece, isso é só o começo: a empresa disse recentemente que a próxima linha, chamada de Ryzen 5, oferecerá 'tremendamente mais poder computacional' do que os processadores Core i5, da Intel, mas pelo mesmo preço.

Essa alegação foi feita pelo vice-presidente corporativo da empresa, Kevin Lensing, em um vídeo sobre os próximos lançamentos da AMD. O vídeo (em inglês), que também dá mais detalhes sobre os novos processadores, pode ser visto abaixo:

Serão quatro novos processadores lançados na linha Ryzen 5. O mais simples deles, o Ryzen 5 1400, trará quatro núcleos, oito threads (núcleos virtuais) e um clock base de 3,2 GHz; já o Ryzen 5 1600X, o mais potente da nova linha, terá seis núcleos, 12 threads e clock base de 3,6 GHz. Para comparar, o Intel Core i5 7600K, o processador mais potente da linha da Intel, tem quatro núcleos e quatro threads.

O processador da Intel, por ser um modelo K, pode chegar perto dos 5 GHz de clock por meio de overclocking com refrigeração a base de água. Ainda assim, todos os processadores da linha Ryzen 5 serão destravados para overclock, o que significa que seus clocks podem chegar a números semelhantes. Mas será necessário esperar pelos primeiros testes para ver se isso se confirma. De qualquer maneira, os chips mais potentes de cada linha terão o mesmo preço: US$ 242 (cerca de R$ 750).

Cercando a Intel

Quando forem lançados, no dia 11 de abril, os novos processadores terão suporte a RAM DDR4 (o tipo mais recente e mais rápido) e a uma série de placas-mãe diferentes. Como os novos chips vêm com soquetes diferentes, a compatibilidde com uma grande seleção de placas-mãe no momento de seu lançamento é importante, destaca o Engadget

Com a chegada da linha Ryzen, mais um mercado dominado pela Intel (o de PCs gamers) começa a ser ameaçado. Além dele, no entanto, a empresa já vem lutando batalhas em outros fronts: no mercado de smartphones, por exemplo, a dominação da Qualcomm e da arquitetura ARM fizeram com que a empresa perdesse mais de US$ 10 bilhões.

Isso não é um problema tão grande quanto parece, já que a empresa tem outras fontes de receita. No entanto, a Microsoft recentemente anunciou uma medida que pode colocar em xeque uma delas: o mercado de processadores para servidores. A empresa criadora do Windows mostrou o design de um servidor com processador ARM, o que abre as portas para que outras empresas fabriquem esses processadores (além da Intel) e ameaça um dos mercados mais lucrativos da fabricantes de chips.





RECOMENDADO PARA VOCÊ