Canhão robótico mata 9 e fere 14 pessoas na África do Sul

Arma high-tech saiu de controle durante testes de tiro

Um canhão anti-aéreo robotizado saiu de controle durante testes em uma área militar na África do Sul e matou nove pessoas, ferindo outras 14. A arma, um Oerlikon GDF-005, foi projetada para atacar veículos voando em alta velocidade e baixa altitude, helicópteros, veiculos aéreos não tripulados e mísseis de cruzeiro. Quando operada no modo automático ela fornece informações sobre os alvos, obtidas de uma unidade de controle  de tiro equipada com radares e sensores, diretamente para suas duas armas de 35 mm, que se movem para localizar e disparar contra a “presa” automaticamente.

 

Ao perder o controle, o canhão começou a “girar loucamente”, disparando em todas as direções até esgotar sua munição de 250 tiros. Os feridos foram levados de helicóptero para um hospital militar na cidade vizinha de Bloemfontein. As autoridades afirmam que uma falha mecânica causou o desastre, mas especialistas afirmam que a origem do problema está no software de controle da arma, que foi modificada para operar de forma totalmente automatizada, embora não tivesse sido projetada para isso.





RECOMENDADO PARA VOCÊ