Casa conectada não empolga o consumidor, diz pesquisa

Mesmo com os esforços do mercado, a adoção de dispositivos conectados em casa ainda é baixa. Uma pesquisa realizada pela consultoria Gartner com 10 mil pessoas dos Estados Unidos, Reino Unido e Austrália mostra que apenas 10% das famílias possuem esse tipo de aparelho.

E, de acordo com especialistas, é preciso que as empresas sejam mais apelativas ao consumidor para que o cenário mude. “Se as empresas quiserem aumentar o apelo de uma casa conectada, devem identificar o que realmente motivaria os usuários atuais a realizar a troca”, explica Amanda Sabia, analista da Gartner.

Produtos mais usados

No segmento, os sistemas de alarme são os mais conhecidos e aceitos pelos usuários. A adoção desse tipo de dispositivo é de 18%, bem maior do que os outros. O monitoramento residencial é usado por 11% dos entrevistados, o mesmo que os aparelhos de saúde e bem-estar. Equipamentos de automação residencial e gerenciamento de energia são usados por 9% das pessoas.

Analógicos

Cerca de 75% dos entrevistados afirmaram que estão felizes em ajustar manualmente coisas como a temperatura e a iluminação de casa. 58% disseram que preferem dispositivos independentes e isolados uns dos outros. Em uma escala de 0 a 100, os participantes deram nota 51 ao grau de satisfação que traria um aplicativo capaz de integrar serviços e aparelhos domésticos conectados.

"A mensagem das empresas ao consumidor deve ressaltar como a casa conectada pode ajudar a resolver tarefas diárias ao invés de ser apenas uma coleção de novidades de dispositivos e aplicativos”, afirma Jessica Ekholm , diretora de pesquisa da Gartner





RECOMENDADO PARA VOCÊ