LG G6 está pronto para ser lançado no Brasil, desta vez sem versão 'SE'

O LG G6 está um passo mais perto de ser lançado no Brasil. O novo celular top de linha da empresa coreana, apresentado na semana passada em Barcelona, durante a Mobile World Congress, já está homologado na Anatel. Agora é só uma questão de tempo para o seu lançamento oficial no país.

Ao contrário do que aconteceu em 2016, no entanto, a versão do G6 que o Brasil receberá não deve ser mais fraca do que a edição internacional. Para quem não se lembra, o G5 chegou ao país com o “sobrenome” SE, que, na prática, significava menos memória RAM e um processador inferior, mantendo o preço de top de linha. Quando comparado a outros modelos na faixa de preço que não tiveram suas especificações reduzidas, o G5 SE acabou ficando para trás.

O que nos leva a acreditar que o mesmo erro não será repetido em 2017 é o fato de que o modelo homologado é o LG-H870, que é exatamente o mesmo aparelho que estava em exibição em Barcelona.

Ainda durante a MWC, houve a previsão de que o G6 seria lançado no Brasil em maio. Com a homologação, que é a última barreira legal para o celular ser distribuído no Brasil, parece que tudo está nos trilhos para o lançamento ocorrer na data prevista.

O que é o G6?

A tela tem 5,7 polegadas com proporções 18:9, o que a faz ser um pouco mais larga do que as tradicionais telas de 16:9 dos celulares do mercado. A distribuição, porém, torna o G6 um aparelho ideal para funções multitarefas, já que essa proporção divide a área de exibição em dois quadrados. É, inclusive, um modelo de distribuição que vem sendo adotado pela indústria de entretenimento, e a LG diz que serviços como Netflix e Amazon Prime Video estão se voltando a esse formato.

A resolução dessa tela é de 2.880 por 1.440 pixels (com 564 ppi), o que faz com que ela seja levemente superior ao Quad HD de aparelhos como o Galaxy S7 Edge, da Samsung.

Outra diferença marcante está na configuração das câmeras do dispositivo. O G6 tem duas câmeras na sua parte traseira, seguindo a tendência lançada por seu antecessor (e que a Apple usou no iPhone 7 Plus). São dois sensores de 13 MP, um deles associado a uma lente normal, com abertura f/1.8 e 71º, e outro a uma lente grande angular, com f/2.4 e 125º.

A lente grande angular permite capturar mais dos arredores das fotos. Com isso, ela é um pouco mais voltada para fotos de paisagens ou multidões. A outra lente, por sua vez, é mais fechada e se assemelha a uma lente tradicional. Ela acaba sendo mais adequada para retratos e para fotografar detalhes.

Na parte da frente, o aparelho vem com uma câmera de 5 MP e uma lente de ângulo um pouco mais aberto que o normal — ela tem f/2.2 e 100º. Essa mudança na lente é para fazer com que ela capture mais do espaço em torno do usuário, e facilita na hora de tirar selfies em grupo. Por outro lado, pode acabar distorcendo o rosto do usuário, caso ele tire uma selfie de perto demais.

Fora isso, o aparelho possui um processador Snapdragon 821 e 4 GB de RAM, que devem garantir uma performance bastante adequada ao aparelho. A bateria do smartphone, com 3.300 mAh, também promete uma boa duração.





RECOMENDADO PARA VOCÊ