Moto G5 Plus ou Zenfone 3: qual é a melhor opção por R$ 1.500?

O Moto G5 Plus já está no mercado brasileiro, e, como já é tradicional da linha mais popular da Motorola, o celular já está entre os mais procurados pelo público brasileiro segundo o site de comparação de preços Zoom.

Custando R$ 1.500, o celular tem algumas boas características e especificações, mas ele é tudo isso mesmo? Para sabermos, vamos fazer o comparativo com a versão mais barata do Zenfone 3, considerado o campeão do custo-benefício de 2016, que tem exatamente o mesmo preço sugerido.

Desempenho

A Motorola tomou uma decisão curiosa em termos de hardware com o Moto G5 Plus. O aparelho é bastante parecido em suas especificações com o Moto Z Play, que é um ótimo intermediário “premium”, reduzindo apenas a quantidade de memória RAM de 3 GB para 2 GB, enquanto o processador é o mesmo em ambos os casos: um Snapdragon 625.

Curiosamente, essas são exatamente as mesmas configurações da versão mais simples do Zenfone 3, que também usa um Snapdragon 625 com 2 GB de memória RAM. Existem outras versões com mais memória RAM, mas elas custam mais do que R$ 1.500.

Ou seja: no fim das contas, os dois celulares se equivalem, neste sentido.

Bateria

No nosso review com o Zenfone 3, ficamos bastante satisfeitos com o desempenho da bateria do celular. O problema é que nossa análise foi feita com a versão maior e mais potente do smartphone da Asus, com 3.000 mAh, enquanto o Zenfone 3 com tela de 5,2 polegadas tem apenas 2.650 mAh.

Ao mesmo tempo, o Moto G5 Plus possui exatamente o mesmo tamanho de tela, mas com uma bateria mais densa de 3.000 mAh, que deve render mais tempo de uso com apenas uma recarga.

Ponto positivo para a Motorola.

Software

Aqui não há muito o que discutir. O Zenfone tem muitos pontos positivos, mas a ZenUI é o seu maior ponto negativo, de longe. Muitos aplicativos desnecessários pré-instalados, padrões estéticos questionáveis, botões que cobrem textos e tradução malfeita para o português. Para completar, é difícil confiar que a Asus manterá o Android atualizado, quando o update do Zenfone 2 da versão 5.0 para a 6.0 do sistema só saiu depois de o Google lançar a versão 7.0.

O Moto G5 Plus ainda se mantém (quase) fiel ao Android puro, só que desta vez, em vez de manter o visual tradicional, a Lenovo adotou um launcher um pouco diferente, que deixa o celular com a cara do Google Pixel. Mesmo assim, o sistema é limpo, liso, elegante e, principalmente, sem aplicativos desnecessários pré-instalados.

Ponto para o Moto G.

Câmera

Aqui uma vantagem para o Zenfone 3. O celular nos deixou empolgados com sua capacidade de fotografar, que ia bem além da média de um smartphone em sua faixa de preço, com sua câmera traseira de 16 megapixels e abertura f/2.0. Na oportunidade em que pudemos testá-lo, ele se saiu bem até mesmo em situações de pouca luz, que são altamente desafiadoras para uma câmera de celular.

O Moto G5 Plus, por sua vez, nos nossos testes preliminares, não traz tantos avanços em termos de câmera em comparação com o aparelho do ano passado. Não é uma câmera ruim, mas está longe de impressionar como o Zenfone 3, mesmo com uma abertura de lente maior de f/1.7 e um sensor de 12 megapixels.

Ponto para o Zenfone 3.

Tela

Aqui, os dois celulares são bastante parecidos. O Zenfone 3 tem um painel de 5,2 polegadas preenchido com uma resolução de 1920x1080 pixels. O mesmo pode ser dito do Moto G5 Plus.

Não há nem mesmo um critério de desempate, já que os dois aparelhos apostam na mesma tecnologia de tela LCD IPS. Mais igual que isso é impossível.

Design

Por fim, o critério mais subjetivo e, desta vez, os aparelhos não poderiam ser mais diferentes. O Zenfone 3 aposta em um revestimento em vidro que dá um aspecto refinado ao celular, mas também passa a sensação de fragilidade e pega marcas de impressão digital com extrema facilidade, além de virar um sabão que escorrega com tranquilidade sobre uma mesa lisa, propiciando acidentes.

Enquanto isso, o Moto G5 Plus opta pelo acabamento metálico, que é mais robusto, mas nem de longe passa a mesma sensação de refinamento do Zenfone 3. Ao mesmo tempo em que não é tão refinado assim, ele também não tem as outras desvantagens.

No fim das contas, as escolhas de ambas as empresas trazem vantagens e desvantagens. Empate.

Conclusão

Neste momento, o Moto G5 tem mais pontos positivos do que o Zenfone 3 mais barato, mas ainda se trata de uma questão de ver o que é mais importante para você. Os dois são parecidos, mas o Moto G vence em bateria e software, enquanto o Zenfone vence em câmera. Se você valoriza mais uma câmera com mais recursos, talvez os pontos mais fortes do celular da Motorola não valham tanto a pena.

Também vale notar que o Zenfone 3 é um celular de 2016 e que, portanto, não seria surpresa se ele recebesse um corte de preço dentro de algum tempo, tornando-o uma alternativa mais interessante do que é hoje na comparação com o novo Moto G.





RECOMENDADO PARA VOCÊ