Número de linhas fixas de telefonia segue em queda no Brasil, diz Anatel

A Anatel já havia anunciado que a banda larga fixa foi o único serviço de telecomunicação que cresceu no Brasil em 2016. No entanto, novos números, divulgados ontem pela agência reguladora, mostram que o número de linhas fixas de telefonia segue em queda no país.

De acordo com a Anatel, o Brasil perdeu 1,72 milhão de linhas de telefonia fixa entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017. Esse número representa aproximadamente 4% das linhas desse tipo no país. Apenas entre dezembro de 2016 e janeiro de 2017, a redução foi de 0,33%.

Entre as operadoras, a que apresentou maior queda foi a Oi: ao todo, ela perdeu mais de 767 mil linhas no período, sendo mais de 50 mil apenas no último mês. A Vivo perdeu mais de 608 mil linhas e a Claro apresentou queda superior a 422 mil linhas.

Um aspecto interessante é que as operadoras menores e locais apresentaram crescimento expressivo no mesmo período. O destaque foi para Algar e Sercomtel. A Algar cresceu mais de 12%, tendo ganhado mais de 28 mil linhas no ano. A Sercomtel, por sua vez, registrou mais de 11 mil linhas, crescendo acima de 15%.

Por estado

Os três estados nos quais a redução de linhas de telefonia fixa foi maior foram Amapá (queda de mais de 13%), Rio Grande do Norte (-8,68%) e Maranhão (-8,55%). Quatro estados apresentaram aumento (Santa Catarina, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás), mas em nenhum caso o crescimento chegou a 1%.





RECOMENDADO PARA VOCÊ