Funcionários da Foxconn entram em greve no Brasil

A Foxconn II, que fica em Jundiaí (SP), enfrenta uma greve desde a última quinta-feira, 11. Os cerca de 3,7 mil trabalhadores da fábrica, única a produzir iPads fora da China, cruzaram os braços por tempo indeterminado.

Segundo explicou o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo, Evandro Oliveira Santos, a empresa não possui organização de cargos e salários, o que impede os trabalhadores de vislumbrar um futuro por lá. Essa reclamação é antiga, tanto que em fevereiro de 2013 houve uma greve pelo mesmo motivo.

“Eles precisam apresentar uma estrutura para que o trabalhador, quando entrar na empresa, possa saber até onde pode chegar”, informou. A empresa havia pedido 15 dias para apresentar uma proposta e outros 30 para implementar as eventuais alterações, o que não foi aceito. “Os trabalhadores cansaram de dar prazos e não ver a reivindicação atendida.”

O sindicato também cobravam uma revisão nas metas que garantem pagamento de participação nos lucros. "A empresa vinha promovendo descontos no valor inicialmente acordado por conta de uma auditoria que teria detectado alguns problemas de zelo. Mas conseguimos que eles cancelassem esses descontos e passassem a fazer a nova avaliação a partir de setembro", contou o presidente da entidade, Eliseu Silva Costa.





RECOMENDADO PARA VOCÊ