Entenda por que o Brasil está atrasado na criação de data centers

Previsões mostram que, até 2018, o tráfego de dados móveis mundial deve chegar a 1200 exabytes. Exabytes? Bom, para dar uma ideia do tamanho desse volume, saiba que todo o tráfego de Internet no Brasil fica perto de 2 exabytes por mês. Imagine 1200 exabytes... Se a expectativa for mesmo confirmada, até 2020, o mercado de Cloud promete movimentar cerca de 160 bilhões de dólares. Não se perca nos números, a gente só quer que você saiba de uma coisa: precisaremos de mais datacenters no Brasil e no mundo.

Acredite, eles já fazem parte do seu dia a dia. E-mail, aplicativos de mensagens, redes sociais, a internet toda está espalhada por datacenters em diferentes lugares do mundo. Agora, para atender toda essa nova demanda gerada pelo crescimento do armazenamento em nuvem, a chegada da Internet das Coisas, o Big Data, Inteligência Artificial e mais tudo que a gente usa online, vamos precisar de mais espaços como este para guardar e organizar tudo isso.

A necessidade por novos datacenters é mundial; Europa, Estados Unidos e Ásia vivem um forte momento de crescimento já há algum tempo. O Brasil está um pouco fora da curva, mas a perspectiva futura também é boa por aqui.

O país vive um momento de transformação: ao mesmo tempo que novos datacenters são construídos, outros antigos se renovam para atender às novas necessidades. Algumas diferenças são notórias quando a gente (ou uma empresa) pensa em usar um datacenter em território nacional ou outro em qualquer canto do planeta.

O maior desafio para construir um datacenter no Brasil está relacionado à energia. Um metro quadrado de datacenter consome de 10 a 30 vezes mais do que uma área de escritório. Para ter acesso à quantidade de energia necessária para suprir um datacenter, este novo empreendimento, por exemplo, precisou construir sua própria subestação energética – um investimento bastante alto e que poucas empresas têm condições de fazer.

Este novo datacenter recém-construído na região metropolitana de São Paulo consumiu 400 milhões de reais em investimento. No final das contas, construir um datacenter no Brasil - em comparação com outros países da América Latina - custa até 40% mais. Isso sem contar a limitação de distribuição de links de comunicação. De qualquer forma, a demanda existe e qualquer empresa que pense no Brasil como mercado estratégico quer alocar seus dados por aqui também.



RECOMENDADO PARA VOCÊ