Qual o melhor smartphone até R$ 1.500? Nós testamos e damos a resposta

O melhor custo benefício; a categoria intermediária. O primeiro Laboratório Digital de 2017 comparou três smartphones com preço até R$ 1500. A gente sempre convida as principais marcas presentes no Brasil para participar desse quadro – infelizmente, nem todas aceitam.

Testamos o novíssimo LG K10; o Moto G4 Plus, da Motorola; e o Galaxy J7 Prime, da Samsung.

DESIGN

As especificações físicas são bem parecidas; tanto no peso quando na espessura dos aparelhos. O mais levinho dos três é o LG K10, com apenas 138 gramas; em seguida, o Moto G4 Plus tem 157 gramas; e ainda um pouco mais pesado é o Galaxy J7 Prime, com 167 gramas.

Mais interessante que o peso é a espessura. Com uma miniaturização cada vez maior dos componentes, os aparelhos estão ficando cada vez mais finos. Esse é um detalhe interessante no quesito ergonomia. O mais grosso é o aparelho da Motorola, que tem a parte traseira arredondada e 9,8 milímetros de espessura no centro do aparelho. Ele sai um pouco da linha dos outros dois, que são bem fininhos. O Galaxy J7 Prime tem apenas 8 milímetros de espessura e o K10, ainda mais fino, 7,9 milímetros – os coreanos realmente competem: UM milímetro de diferença!

Na palma das mãos, o que menos agradou foi o Moto G4 Plus. O acabamento em nylon balístico rugoso com um contorno de metal – sugere resistência, mas deixa a elegância um pouco de lado. Já os aparelhos da LG e Samsung têm mais cara de smatphones top de linhas. O LG K10 é todo arredondado, inclusive nas bordas da tela. O manuseio é agradável, além de ser bem muito leve. Talvez o acabamento em plástico e o botão traseiro – que ainda não nos convenceu – é o que o deixe em segundo lugar nesse quesito. A nossa escolha aqui ficou com o Galaxy J7 Prime – com acabamento em alumínio, é o que mais se aproxima dos aparelhos top de linha. Ainda que seja o mais pesado, o dispositivo da Samsung sai na frente com um ar de superioridade e elegância.

TELA

Os tamanhos são parecidos: Moto G4 Plus e Galaxy J7 Prime têm telas de 5 polegadas e meia e resolução Full HD de 1080 por 1920 pixels; o LG K10 é pouquíssima coisa menor, tem 5,3 polegadas, mas a resolução cai um pouco – HD de 720 por 1080 pixels. Os três aparelhos trazem displays de LCD, mas cada um com algumas tecnologias extras de aprimoramento de imagens.

Mas, testamos os smartphones como usuários comuns. Rodamos alguns vídeos (os mesmos em cada aparelho), na melhor definição possível, em todos os dispositivos; só assim é possível notar algumas peculiaridades.

A primeira coisa que chama atenção é a resolução um pouco inferior do LG K10 frente aos seus concorrentes neste Laboratório. Fora isso, o brilho, contraste e saturação da tela LCD com tecnologia IPS são ótimos. As imagens apresentadas são sempre muito equilibradas.

Sobe som

O Moto G4 Plus se diferencia pela definição superior – Full HD. Fora isso, o brilho do aparelho da Motorola ainda é um pouco inferior ao da LG, assim como o contraste. Desta forma, o mais justo é decretar um empate técnico entre os dois aparelhos neste comparativo das telas.

O destaque e a vitória ficou com o Galaxy J7 Prime. A resolução é a mesma Full HD do aparelho da Motorola, mas os quesitos que se diferenciam dos outros dois são o brilho e a saturação – maior que seus rivais.

PERFORMANCE

A velocidade para transitar entre aplicativos, fotografar, abrir um monte de coisa ao mesmo tempo, é muito boa – e praticamente a mesma em todos eles. É difícil alguma diferença.

A equivalência se repete nas especificações. LG e Motorola trazem embarcado um processador de oito núcleos com 1,5 gigahertz de velocidade e 2 Giga de memória RAM. O processador do Galaxy J7 Prime também é um octa-core e a velocidade praticamente a mesma: 1,6 gigahertz. A única diferença é que o aparelho da Samsung tem 3 Giga de RAM.

A única coisa que a gente pode fazer aqui, nos nossos testes como usuário comum, é decretar um empate triplo.

SISTEMA OPERACIONAL

São todos Androids; o LG K10  já sai de fábrica com a versão mais atualizadas do sistema: o Nougat 7.0. Os outros dois celulares, logo que a gente iniciou nossos testes, foram também atualizados para a última versão. O diferencial mesmo é que cada marca instala recursos próprios nos seus dispositivos. Certamente este não é um quesito que vai pesar na nossa decisão final.

CÂMERA

Atualmente este é um dos quesitos mais importantes na hora de escolher um smartphone. As câmeras principais do LG K10 e do Galaxy J7 Prime têm 13 megapixels de resolução; já o sensor traseiro do Moto G4 Plus tem 16 megapixels. A abertura da lente – que também pode ser entendida pela “claridade” ou quanto de luz ela é capaz de deixar passar em um clique – também é um número importante. As três lentes são relativamente claras. Mas a maior abertura é a do Galaxy J7 Prime f/1.9. Motorola tem abertura f/2 e já o K10 da LG, f/2/2. Essa abertura faz muita diferença em ambientes com pouca luz.

A câmera que ficou em terceiro lugar foi a do LG K10; alguns motivos o deixaram um pouco para trás em relação aos seus rivais. Primeiro, a velocidade de gravação da imagem – são alguns segundos que a gente não perde nos outros aparelhos. É, entre todas testadas aqui hoje, a lente mais escura e, se não bastasse, o K10 também é o smartphone com aplicativo de câmera com menos funções. Ele também é mais lento na hora de gravar o registro. O destaque talvez fique pela possibilidade de tirar fotos por comandos de voz.

O Moto G4 Plus está na outra extremidade quando o assunto é o app da câmera. Ele é bem completo, inclusive com a possibilidade deixar os ajustes todos manuais na opção PRO – este modo é muito legal para quem curte e entende de fotografia. O smartphone da Motorola também tem um flash melhor; na verdade dois – um mais quente, outro mais frio – o que equilibra melhor as cores quando ele precisa ser utilizado.

A melhor câmera das três é a do Galaxy J7 Prime. Os 13 megapixels são combinados com uma lente mais clara. O resultado são imagens e definição ótimas seja em ambientes com muita ou pouca luz. O aplicativo também é bastante completo, inclusive com a mesma opção de ajustes manuais do Moto G4 Plus.

Os três modelos fazem vídeo em Full HD. E todos também têm ótimas câmeras frontais para selfies. O Samsung traz um sensor bastante claro, capaz de capturar detalhes em qualquer situação de luz – são 8 megapixels na câmera frontal com a mesma abertura f/1.9 do sensor traseiro. Com 5 megapixels de resolução, as câmeras para selfies do LG K10 e do Moto 4G Plus são bem parecidas. O diferencial da LG é o ângulo mais aberto de 120 graus que permite colocar mais gente na foto; já no Motorola o destaque fica para o auto-HDR.

ARMAZENAMENTO

Todos possuem 32 giga de memória. Mais do que isso, todos possuem suporte para cartão Micro SD. Aí é possível chegar até 256 giga de espaço para fotos, vídeos e o que mais você quiser armazenar no aparelho. Todos iguais...

BATERIA

A bateria do Samsung tem capacidade padrão de 3300 miliampere-hora; o que, segundo a empresa, seria suficiente para até 12 horas de navegação em 3G, 14 horas assistindo vídeos, 15 horas em 4G ou até 16 horas usando Wi-Fi. A bateria do Moto G4 Plus tem capacidade de 3000 miliampere-hora, mas a Motorola se restringe a prometer um dia de bateria sem a necessidade de uma nova carga. Por último, a bateria do novo K10 tem capacidade de 2700 miliampere-hora. A diferença do aparelho da LG é que ele é o único com bateria removível.

PREÇO

Aqui, neste Laboratório, o preço faz diferença. Como dissemos no início, limitamos a categoria pelo teto de 1500 reais. LG K10 e Moto G4 Plus custam praticamente a mesma coisa; encontramos os dois por cerca de 1200 reais. Já para o Galaxy J7 Prime, o melhor preço que a gente encontrou foi 1300 reais.

CONCLUSÃO

Este primeiro Laboratório Digital de 2017 avalia o custo benefício entre os celulares testados e comparados, mas como o preço deles é muito próximo, a decisão ficou pelos quesitos mais técnicos.

Em terceiro lugar ficou o recém-lançado K10. O novo smartphone da LG começou chamando atenção pela leveza e pelo design moderno e elegante. A performance se equiparou aos outros modelos na nossa bancada, porém a câmera – tanto pela qualidade quanto pelo aplicativo – deixou um pouco a desejar.

Em segundo lugar, veio o  Motorola Moto G4 Plus. A gente ainda acha o design robusto demais, mas isso é questão de gosto. O display do G4 Plus perdeu um pouco em relação aos outros, principalmente no contraste. Mas os 16 megapixels combinados com uma série de funções interessante, flash duplo e foco ultrarrápido a laser garantem belíssimos cliques.

Na primeira posição deste Laboratório, o Galaxy J7 Prime tem alguns pontos acima da média para um smartphone intermediário. O design é muito próximo aos aparelhos mais caros do mercado; o acabamento em alumínio com as bordas e até a tela levemente arredondada dão um tom de elegância ao dispositivo. Some a isso uma bateria mais robusta e uma câmera com lente super clara, e a vitória tinha que ir mesmo para o Galaxy J7 Prime.

Este foi o primeiro Laboratório de 2017. E aí, o que você achou da nossa decisão? Concorda com o veredito? Já experimentou algum desses aparelhos? Compartilhe sua visão com a galera nos comentários!



RECOMENDADO PARA VOCÊ